Esporte - Gestão de risco em navegação oceânica


O Comandante Ricardo Machion, experiente navegador oceânico desenvolveu um estudo sobre capacidade de esgotamento de uma canoa havaiana como procedimento de segurança com base nas inúmeras situações vividas a bordo em embarcações de classe olímpica com litragem similar às das canoas e explica um pouco sobre esse estudo inédito.

Esse estudo tem como objetivo, aumentar a efeciência da navegação com as Canoas Havaianas para 6 remadores (OC6) em águas abertas, considerando que, no Brasil, a grande maioria, não é utilizada saia para evitar ou reduzir a possibilidade de alagamento da embarcação.

Embarcações desse tipo, que se deslocam nas áreas de navegação, além da zona de recreação, estão sujeitas a maiores riscos de acidentes uma vez que possuem uma grande extensão, maior que muitas embarcações de navegação costeira e um baixo costado, facilitando a entrada de água. Não possuindo qualquer tipo de recurso funcional para esgotamento da mesma, como bailers.

Por esse motivo, foi desenvolvido esse pequeno estudo considerando dois pontos como raciocínio de segurança.
1) Remando em ondulações, é importante ter a dimensão do volume de água que pode estar fazendo e sua capacidade de esgota-la.
2) No caso de uma capotagem, estando em área de navegação, rota de colizão, ou em áreas de risco como costeiras, quanto tempo necessita para esgota-la e coloca-la em área de segurança novamente.

Segundo os cálculos, uma canoa que tem como medidas aproximadas, 0,45cm de boca, 0,55cm de profundidade média e 10mts de comprimento interno.

Base do cálculo:
1m3 = 1.000lts ou 1.000.000cm3
1m3 = 100x100x100= 1.000.000cm3

0.45x0.55x100 = 24.75cm3 ou seja, 247,5 litros/metro, somando um total de 2.475 litros ou 2.4m3

Para análise de eficiência, podemos considerar que, a cada 2 segundos um remador é capaz de esgotar 2 litros de água em função da capacidade do recipiente utilizado, conhecido como bailier. Apenas para efeito de cálculo  levaría-se então considerando que, o limite de trabalho seria de 3 remadores esgotando e 3 remadores remando, pois estamos considerando que essa é uma situação de risco (gerenciamento de risco)

2.475 litros;
20,6 minutos para esgota-la por completo utilizando apenas 1 remador.
10,3 minutos para esgota-la por completo utilizando apenas 2 remadores.
6,8   minutos para esgota-la por completo utilizando apenas 3 remadores.
5,1   minutos para esgota-la por completo utilizando apenas 4 remadores.
4,1   minutos para esgota-la por completo utilizando apenas 5 remadores.
3,4   minutos para esgota-la por completo utilizando apenas 6 remadores.

Para um cálculo mais próximo à realidade, consideremos que, durante a remada, a canoa foi alagada por uma onda, mas que não a impediu de continuar navegando, pois o alagamento ocupou apenas 50% da capacidade do casco, teríamos então;

1.237 litros;
10,3 minutos para esgota-la por completo utilizando apenas 1 remador.
5,1   minutos para esgota-la por completo utilizando apenas 2 remadores.
3,4   minutos para esgota-la por completo utilizando apenas 3 remadores.
2,5   minutos para esgota-la por completo utilizando apenas 4 remadores.
2,0   minutos para esgota-la por completo utilizando apenas 5 remadores.
1,7   minutos para esgota-la por completo utilizando apenas 6 remadores.

Esses tempos tem como objetivo, saber se numa travessia oceânica, no caso de uma onda alagar a embarcação, é mais seguro esgota-la navegando, mesmo reduzindo a capacidade de deslocamento/ rendimento em até 50% por utilizar parte da tripulação para esgotamento ou se é mais rápido executar um huli no caso de uma rota de colisão ou uma situação de arrasto para a costeira por exemplo.

Outra questão é o deslocamento, foi considerado um ponto importante para que se decida dentro do tempo de um alagamento, a condição de tomada de decisão por área de risco e até mesmo a diferença de tempo entre outras embarcações se distanciando ou se aproximando da área de risco, considerando que;

Deslocando 10.000 metros p/h em média, são deslocados 166,67 metros por minuto e 2,78 metros por segundo. Uma canoa com a proximadamente 15 metros, á uma velocidade constante de 10km p/h, desloca a extensão de seu casco em 5.4 segundos.
Isso significa que, no caso de um alagamento de 50%da capacidade domcasco ou seja 1.237 litros, se sua velocidade média, fosse reduzida para 5.000 metros p/h e uma embarcação que mantem a mesma velocidade constante se deslocasse, você levaria 10,8 segundos para recuperar sua velocidade média para um pedido de socorro por exemplo.

Esse estudo não tem como objetivo de conclusão a geração de respostas e sim de despertar nas tripulações as perguntas para tomadas de decisão em situações onde a segurança da embarcação e da tripulação, possa estar comprometida.